Sobre

Olá, bem-vindo ao Virar Seu Próprio Chefe! 

Meu nome é Igor Oliveira e estou muito feliz que você chegou até aqui. Neste espaço, vamos falar sobre um assunto que eu adoro: Empreendedorismo!

Vou compartilhar um pouco da minha história para te mostrar por que empreender mudou minha forma de pensar, meus sonhos e meu estilo de vida.

Espero que ela sirva de inspiração para que você comece a dar os primeiros passos rumo a uma vida cheia de realizações e desafios.

Quem eu sou e o que faço da vida

Igor Oliveira

Sou formado em Engenharia da Computação e trabalho como desenvolvedor de aplicativos e jogos para celulares.

Hoje, talvez você tenha aberto seu WhatsApp para conversar com alguém, talvez tenha tirado alguma foto ou feito uma montagem ou apenas curtido a foto no Facebook daquela pessoa que conheceu no Tinder, enquanto esperava para poder jogar mais uma partida de Candy Crush ou Clash of Clans.

Provavelmente você fez uma ou várias dessas coisas, não é mesmo?

Isso só foi possível por que alguém, em algum momento teve uma ideia e trabalhou para que ela se transformasse em um produto.

E este é exatamente o jeito como eu ganhei dinheiro nos últimos anos: eu transformei ideias em aplicativos que ajudam e divertem as pessoas.

Mas nem sempre foi assim….

Eu era inseguro e tinha medo do futuro

Durante a faculdade eu passei por um período de muita insegurança e desmotivação.

Eu tinha medo de passar cinco anos no curso de engenharia de computação e acabar desempregado.

Nesse tempo não passava pela minha cabeça empreender.

Eu só queria terminar minha faculdade e conquistar um bom emprego de carteira assinada.

Afinal, tinham me dito que este era o único jeito de ter uma vida melhor.

Só esqueceram de me falar que somente isso não seria o suficiente.

Eu via todos os meus amigos conseguindo ótimos estágios, e eu sempre falhava nas entrevistas e dinâmicas de grupo. E isso me deixava ainda mais apavorado e inseguro com relação ao meu futuro.

Depois de ouvir muitos “nãos”, eu comecei a perceber o que os recrutadores estavam procurando nos candidatos, e passei a entregar aquilo que eles queriam ver.

Cada não que eu recebia era um novo aprendizado, até que em algum momento eu “subi de nível”.

Não sei se isso já aconteceu com você.

Você já falhou em alguma coisa, tantas vezes que passou a dominar aquilo?

Depois de falhar muitas vezes, aprendemos com os erros e nos tornamos melhores e mais preparados para a próxima tentativa!

Acho que adquirimos maturidade no processo. Depois de um tempo, passei em todos os processos seletivos que fiz e pude escolher onde queria estagiar.

Minha escolha inicial foi estagiar no Banco Central. Imagina só… Banco Central… tinha tudo para ser o estágio da vida, aprender muito…

E realmente ali eu aprendi a lição mais importante da minha vida: concurso público não é para mim.

As pessoas que normalmente “sonham” em fazer um concurso público não fazem ideia de como o dia a dia pode ser chato.

Concurso é uma armadilha onde o sonho é a isca e o salário não te deixa acordar.

O resultado é que você morre aos poucos vendendo seu tempo, e mata junto seu potencial de empreender.

Quando eu percebi a furada do Banco Central, voltei aos processos seletivos e acabei optando por entrar em uma consultoria que, agora sim, eu tinha esperança de que iria mudar minha vida para sempre!

Como eu mudei minha mentalidade

Depois que eu entrei na consultoria, fiz de tudo para me destacar. Acreditava que poderia ter um futuro naquele emprego.

Um dia, conversando com um colega de trabalho que tinha uns 4 anos de experiência, descobri o salário de um consultor pleno.

Eu era estagiário na época, com 22 anos e me imaginar com aquele salário, em 4 anos, era o mesmo que vencer na vida. A partir desse dia eu dei o meu melhor.

O resultado foi que em um ano, eu fui promovido a analista júnior e um ano depois, a consultor pleno.

Em 2 anos eu atingi o cargo tão sonhado de consultor pleno, e ele tinha chegado na metade do tempo esperado e com um salário maior do que eu poderia imaginar.

Poderia ter me acomodado com um bom salário, em uma coisa que eu era bom.

Mas nesse momento um outro pensamento começou a me incomodar:

Eu tinha 24 anos, era bom no que eu fazia, gostava disso e ganhava mais do que 90% de todas as pessoas que eu conhecia, mesmo sem ser formado!

Até que um dia minha ficha caiu! 

Durante um passeio na orla do Rio de Janeiro, me peguei admirando os apartamentos do Leblon.

Naquela época tudo que eu queria era aquilo para mim!

Cheguei em casa e fui procurar saber os preços, fiz as contas e percebi que eu nunca conseguiria comprar um apartamento daqueles com o salário que eu tinha.

Nem mesmo com o salário do meu gerente seria possível!

Pensa bem: um ótimo salário aqui no Brasil gira em torno de R$ 30 mil (mais ou menos o salário de um juiz).

Mas um apartamento de frente para a praia, no Leblon, chega a custar mais de R$ 20 milhões!

Eu precisaria de (inacreditáveis) 55 anos de trabalho, sem gastar um centavo, para poder realizar meu sonho.

Foi então que eu comecei a tentar descobrir qual o perfil das pessoas que moram nesses apartamentos.

Alguns jogadores de futebol, herdeiros e empreendedores de sucesso.

Não sei jogar bola, e mesmo que tivesse uma herança me esperando ainda espero que minha mãe viva para sempre.

Então me restava entender mais sobre empreender.

Meus primeiros passos como empreendedor

Enquanto me aprofundava no assunto, ficava cada vez mais desmotivado com o meu emprego e minha rotina.

Comecei a sentir que estava estagnado, vendendo meu tempo, principalmente quando eu chegava cedo ao trabalho e não tinha nada para fazer.

A falta de tempo estava me impedindo de terminar a faculdade e de pensar em outras alternativas para minha vida.

Senti que era hora de tomar uma atitude.

Como eu tinha juntado uma boa grana, resolvi largar o emprego por 6 meses.

Neste período, foquei em terminar as poucas matérias que faltavam na faculdade (apesar de saber que nunca usaria o diploma para nada) e comecei a estudar sobre como criar aplicativos de celular.

Depois de terminar a faculdade, era hora de voltar para o meu emprego.

Mas quem disse que eu consegui fazer isso?!

Apesar do salário, voltar para aquela rotina significava abrir mão de uma boa parte dos meus sonhos.

Pelo que eu disse lá no início do texto, acho que vocês já sabem qual foi a minha escolha, né?

Depois de um início difícil no mercado de aplicativos, ganhando pouco e ralando muito, comecei a me estabilizar e me vi apaixonado por empreender.

De lá para cá muita coisa aconteceu.

Fiz uma parceria com uma empresa de aplicativos onde aprendi muito e sou muito grato.

E quando o momento chegou, montei meu próprio negócio.

Entre todos os negócios que eu poderia ter escolhido, criar apps foi estratégico. O investimento para começar é muito baixo, e eu só precisaria de tempo e um computador.

Meus clientes podiam estar em qualquer lugar do mundo, sem custo adicional. Se meu vizinho baixar um app, ou uma pessoa na China, o custo é o mesmo.

E de bônus eu poderia escolher o horário que gostaria de trabalhar, por quanto tempo e de onde.

Quanto mais tempo eu empregava em um projeto, mais rápido ele ficava pronto, e mais eu ganharia no fim do mês (eu cheguei a fazer jogos inteiros em 3 dias de noites viradas!).

Ainda não atingi todos os meus sonhos e objetivos, mas estou cada vez mais perto. E o melhor, do meu jeito, sem chefe, sem despertador e sem ficar preso a um escritório.

A verdade é que eu sempre fui um empreendedor, sempre tive um mindset empreendedor.

Talvez você também seja um, e está desperdiçando seu talento em um emprego que não te desafia a crescer e ser melhor a cada dia.

Sempre quis mudar o mindset das pessoas

Eu queria muito mudar a maneira de pensar das pessoas da minha família e dos meus amigos.

Afinal, é muito difícil ver pessoas que você gosta infelizes com seus empregos, passando dificuldades financeiras e deprimidas quando a segunda-feira se aproxima.

Com as escolhas que eu fiz, posso desfrutar de um estilo de vida cheio de liberdade.

Posso estar em todos os aniversários da família, seja domingo ou quarta-feira de tarde.

Posso ir a todos os eventos que eu quiser sem me preocupar em chegar tarde no trabalho no dia seguinte.

Mas é muito difícil convencer outras pessoas de que há outras alternativas na vida além de ter um emprego convencional, ter um diploma e “ter” uma casa própria aos 25 anos.

Sempre que tentava convencer alguém a empreender, ouvia as mesmas desculpas:

  • “abrir um negócio é muito caro, não tenho grana!”
  • para você é fácil, você sabe programar e pode atingir milhões de pessoas com seus aplicativos.”

Concordo que criar um negócio físico pode ser muito caro, fora que envolve funcionários, espaço físico, estoque, entrega de mercadorias, etc.

E criar um negócio como o meu, requer um conhecimento em programação que muita gente não tem e não tem interesse em adquirir.

Tive que aceitar calado todos estes argumentos, até que eu conheci o empreendedorismo digital e o mercado de produtos digitais.

Empreendedorismo digital

Produto digital é qualquer coisa que possa resolver o problema de uma pessoa e que seja consumido em meio digital.

Nos negócios online, as típicas desculpas que eu ouvia não se aplicam. Para montar um negócio online:

  • Você precisa de pouco dinheiro para começar.
  • Você pode fazer tudo sozinho se tiver força de vontade.(pelo menos no início)
  • Você pode ver seus resultados em pouco tempo.
  • Você não precisa sair da frente do computador para construir e desenvolver o negócio.

E então, ficou animado para conhecer esse mundo?

(Quando eu conheci o mundo do empreendedorismo digital, fiquei 3 noites sem dormir de tanta ansiedade e motivação, prepare-se para sentir o mesmo!).

Por que eu criei o Virar Seu Próprio Chefe

O Virar Seu Próprio Chefe foi a maneira que eu encontrei de mostrar para pessoas como você, que qualquer um pode ter uma vida com liberdade financeira e geográfica, assim como a minha, mesmo sem saber nada de programação.

E o jeito mais fácil de fazer isso, é através de um negócio online (ou vários).

Minha ideia com este site, é te ajudar a descobri o que fazer e como fazer, para fazer seu negócio sair do papel e decolar logo de cara, sem que você precise cometer os mesmos erros que eu cometi.

Aqui, neste espaço, vou fornecer conteúdos de qualidade e repletos de informações que vão te mostrar o passo a passo para alcançar o sucesso.

Por onde você deve começar

Antes de você sair por aí batendo cabeça, tenho uma dica valiosa para te dar:

Se você quiser vencer neste mercado, basta correr atrás, aproveitar as oportunidades e buscar informações.

Mas tem tanta informação por aí, que tem uma grande chance de você ficar perdido e não sair do lugar!

Não cometa esse erro!

Depois de um mês de pesquisas confusas e fora de ordem, eu fui buscar informações mais diretas sobre como começar.

Depois de pensar muito sobre o assunto, resolvi acreditar em um curso online.

O Fórmula Negócio Online (FNO) foi o curso que eu escolhi e, acredite, foi a melhor coisa que eu fiz.

Fiquei arrependido de não ter feito antes.

Ele me deu uma clareza muito grande de como funciona o mercado e, não só isso, me deu um mapa, passo a passo, de tudo que eu precisaria fazer para sair do zero até ter meu negócio online funcionando e gerando renda.

Foi esse curso que me fez acreditar que era possível, para qualquer pessoa, criar seu negócio online, e é ele que eu indico para meus amigos.

Venha Virar Seu Próprio Chefe

Bem essa é minha história, mas claro que é só um pedaço dela.

Se você quiser saber um pouco mais sobre a minha história ou tirar alguma dúvida sobre negócio online, se inscreva na minha lista de email abaixo e me mande um email.

Pode me fazer qualquer pergunta que eu vou ficar muito satisfeito em responder da melhor maneira possível.

Se você quiser, venha fazer parte da nossa página no Facebook.

Espero que você esteja tão empolgado em começar seu negócio, como eu estou em poder te ajudar a dar este passo.

 

Seja muito bem vindo!

Igor Oliveira